segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Runas, o mito da 'criação'



Runas são caracteres de alguns alfabetos pré-cristãos que foram substituídos pelo alfabeto que utilizamos hoje.

Runemal: Oráculo composto por essas letras do alfabeto para consultas sobre o passado, o presente e possibilidades para o futuro.



Mito da ‘’criação’’ das runas

A palavra ‘’criação’’ entre aspas se deve ao fato de que as runas mitologicamente não foram inventadas, mas sim descobertas por Odin.
Odin, o deus do conhecimento e da magia, desejava novos conhecimentos cósmicos, e para consegui-lo, ele se sacrificou em seu próprio nome para passar por uma profunda purificação e assim se iniciar e estar pronto para adquirir os novos conhecimentos.

Por nove dias ficou pendurado pelos pés em Yggdrasil, o Freixo sagrado que sustenta todo o universo viking, e foi privado de comida e água, ficou exposto ao sol e a chuva, a ventos fortes e a todo o sofrimento terreno. Feriu-se com sua própria lança, a qual jamais errara o alvo e continuou a sofrer, a cada dia mais fraco e perto da morte.
Durante seu sofrimento e provação, Odin olhou para baixo e nas raízes de Yggdrasil avistou vinte e quatro formas desenhadas. Eram as marcas rúnicas, símbolos carregados de poder, conhecimentos e significados profundos. Em sua viagem astral, Odin desvendou os profundos segredos de cada uma. E somente após compreender as runas, em um último suspiro de força, soltou-se da árvore, e caindo para a morte gritou estrondosamente. 
Morto como um homem comum ele ficou ao pé de Yggdrasil, algum tempo depois foi despertado de seu fúnebre sono, então recolheu as runas do chão e levantou-se.
Agora Odin conhecera coisas ocultas aos homens e deuses, como curar os doentes, cegar a espada de seus inimigos, como agarrar uma flecha em pleno voo e os fundamentos da Magia.

Algumas lendas contam que ele levou as runas para seu palácio em Asgard e dividiu as 24 runas entre Hagal, Freya e Tyr que deixaram um pouco de sua energia para o Oráculo Rúnico. 
  • Freya: a energia feminina de mãe e esposa. 
  • Hagal: a energia da sabedoria e justiça.
  • Tyr: a energia de um jovem guerreiro e lutador. 
Os três também pediram para que outros deuses colocassem suas energias em algumas de suas runas.
Uma vigésima quinta runa foi adicionada, uma runa sem marcas, esta é representada pela energia de Odin e sua busca e sacrifícios pelo conhecimento e os segredos do destino..

Texto e Imagem: Henrique Barbosa
Participe: Grupo de Estudos
Conheça nossa Loja: Elo7 - Bosque do Cervo
'Este texto é de autoria própria e fica proibida sua cópia, total ou parcial, sem autorização'

Nenhum comentário:

Postar um comentário